Magnólia-de-yulan


Nome científico

Magnolia denudata Desr.

 

Nome comum

Magnólia-de-yulan

 

Família

Magnoliaceae

 

Descritor

Desr. [Louis Auguste Joseph Desrousseaux (1753–1838)]

 

Tipo de Origem

Alóctone

 

Origem

Centro e este da China

 

Descrição da espécie

A Magnolia denudata é uma árvore caducifólia de pequeno porte, que pode atingir 15 m de altura. A copa é de formato arredondado e densamente ramificada, com os ramos pubescentes. Apresenta um tronco revestido por casca cinzento-escura e áspera. As folhas, de 7,5 a 15 cm de comprimento e 5 a 9 cm de largura, são simples, ovais a obovadas, em forma de cunha na base, acuminadas no ápice, de cor verde-viva na página superior, mais pálidas e pubescentes, principalmente nas nervuras, na inferior, de margem inteira, com um pecíolo com cerca de 2,5 cm de comprimento e dispostas de forma alterna nas extremidades dos ramos. No outono, adquirem tons entre o amarelado e o dourado. A floração ocorre entre fevereiro e abril, antes da folhagem nova emergir, sendo a inflorescência uma flor solitária, agradavelmente perfumada com um aroma cítrico, inicialmente de formato ovoide-cónico e coberta por pubescência lanosa, até 15 cm de diâmetro quando aberta, ereta nas extremidades dos ramos, com 9 tépalas côncavas e robustas, de cor branco-marfim. O fruto é um folículo ereto sobre os ramos, de formato fusiforme, de cor acastanhada e com 8 a 12 cm de comprimento.

 

Observações

O nome do género, Magnolia, atribuído pela primeira vez a uma árvore de flor da ilha da Martinica, em 1703, pelo botânico francês Charles Plumier (1646–1704), é uma homenagem a Pierre Magnol (1638–1715), botânico francês responsável pela criação do conceito de família em botânica. Ao contrário das espécies polinizadas pelo vento, que produzem grandes quantidades de pólen, as magnólias desenvolveram uma estratégia de polinização diferente: flores vistosas, com néctar e aromáticas, de forma a atraírem os insetos que as polinizam. A robustez das suas pétalas e estames deve-se ao facto de, à data do seu aparecimento, há 100 milhões de anos atrás, não existirem abelhas, borboletas e traças, sendo a polinização das magnólias feita por escaravelhos não voadores, “menos delicados” do que os insetos referidos anteriormente. O restritivo específico, denudata, provém do latim denudatus-a-um, que significa “despido” numa alusão à floração ocorrer antes do aparecimento das folhas novas, quando a árvore se encontra “despida”. A magnólia-de-yulan tem sido plantada em templos budistas chineses desde o ano 600. As suas flores brancas, perfumadas e em forma de cálice eram consideradas um símbolo de pureza durante a dinastia Tang (618–690, 705–907), sendo plantada nos jardins do palácio imperial. Atualmente, a sua flor é a flor oficial da cidade de Xangai, na China.

 

Legenda: Magnólia

 

Legenda: Magnólia (flor)

 

Legenda: Magnólia (flor)