Magnólia-de-flores-grandes


Nome científico

Magnolia grandiflora L.

 

Nome comum

Magnólia-de-flores-grandes, Magnólia, Magnólia-sempre-verde

 

Família

Magnoliaceae

 

Descritor

L. [Carl Linnaeus (1707–1778)]

 

Tipo de Origem

Alóctone

 

Origem

Sudeste dos Estados Unidos da América

 

Descrição da espécie

A Magnolia grandiflora é uma árvore perenifólia de médio porte, que pode atingir 25 a 30 m de altura. A copa é densa, ampla e de formato piramidal. Apresenta um tronco, geralmente, curto, revestido por casca cinzenta e lisa em exemplares jovens, gretando-se em pequenas placas irregulares com a idade. As folhas, de 10 a 20 cm de comprimento e 7 a 10 cm de largura, são simples, elípticas, obovadas ou lanceoladas, de cor verde-escura e lustrosas na página superior, verde-pálidas ou cobertas por pubescência castanho-avermelhada ou acobreada na inferior. São coriáceas, de margem inteira, por vezes ondulada, com um pecíolo de 2 a 2,5 cm de comprimento e dispostas de forma alterna nas extremidades dos ramos. A floração ocorre entre maio e junho, sendo a inflorescência uma grande flor solitária, agradavelmente perfumada, inicialmente de formato cónico, até 25 cm de diâmetro quando aberta, ereta nas extremidades dos ramos, com 3 sépalas petaloides (semelhantes a pétalas) na base e 6 a 12 pétalas, de cor branca ou branco-cremosa, com numerosos estames de cor púrpura, dispostos em espiral no seu centro. O fruto é semelhante a uma pinha ereta sobre o ramo, de formato oval, até 10 cm de comprimento, pubescente, inicialmente de cor rosada, tornando-se castanha na maturação. É composto por dezenas de folículos, que se abrem longitudinalmente, libertando as sementes de cor vermelha, lustrosas e achatadas, cada uma com 1 a 1,3 cm de comprimento.

 

Observações

O nome do género, Magnolia, atribuído pela primeira vez a uma árvore de flor da ilha da Martinica, em 1703, pelo botânico francês Charles Plumier (1646–1704), é uma homenagem a Pierre Magnol (1638–1715), botânico francês responsável pela criação do conceito de família em botânica. O restritivo específico, grandiflora, é uma alusão ao grande tamanho das suas flores. Ao contrário das espécies polinizadas pelo vento, que produzem grandes quantidades de pólen, as magnólias desenvolveram uma estratégia de polinização diferente: flores vistosas, com néctar e aromáticas, de forma a atraírem os insetos que as polinizam. A robustez das suas pétalas e estames deve-se ao facto de, à data do seu aparecimento, há 100 milhões de anos atrás, não existirem abelhas, borboletas e traças, sendo a polinização das magnólias feita por escaravelhos não voadores, “menos delicados” do que os insetos referidos anteriormente. A magnólia-de-flores-grandes é a árvore estadual do Mississípi, sendo a sua flor também a flor estadual do Mississípi e da Louisiana, nos Estados Unidos da América.

 

Legenda: magnólia-de-flores-grandes