Espruce-da-noruega


Nome científico

Picea abies (L.) H. Karst.

 

Nome comum

Espruce-da-noruega, Espruce-europeu, Pícea-europeia

 

Família

Pinaceae

 

Descritor

(L.) H. Karst. [Carl Linnaeus (1707–1778), Gustav Karl Wilhelm Hermann Karsten (1817–1908)]

 

Tipo de origem

Alóctone

 

Origem

Norte, centro e este da Europa

 

Descrição da espécie

A Picea abies é uma árvore perenifólia de grande porte, que pode atingir 50 a 65 m de altura. A copa tem um formato cónico ou subcilíndrico, com ramos inferiores descendentes em árvores mais velhas. O tronco, direito e colunar, apresenta uma casca cinzento-acastanhada, adquirindo uma tonalidade cinzento-púrpura em árvores mais velhas, que de desprende em placas de formato arredondado ou oval. As folhas, de 1 a 2,5 cm de comprimento, são simples, aciculares, dispostas em espiral em torno do ramo, de secção quadrangular, rígidas, pungentes, de ápice arqueado, de cor verde-escura e com bandas estomáticas de cor acinzentada nos quatro lados. Quando esmagadas, libertam um agradável aroma cítrico. A floração ocorre entre abril e maio, sendo as inflorescências masculinas cones de cor amarela a dourada, de formato ovoide, axilares ou terminais nos ramos, e as femininas cones de cor avermelhada ou violácea, eretos sobre os ramos e de formato cilíndrico, ocorrendo ambas na mesma árvore. O fruto é uma pinha pendente, de formato cilíndrico, ligeiramente arqueada, de 10 a 18 cm de comprimento e 3 a 4 cm de largura, inicialmente de cor verde ou violácea, castanho-clara na maturação, com escamas seminíferas de margem arredondada ou com a ponta truncada, cada uma contendo duas sementes. As sementes são de formato aproximadamente triangular, de cor preto-acastanhada, com 4 a 5 mm de comprimento e providas de uma asa membranosa, com 1,5 cm de comprimento e de cor castanho-pálida.

 

Observações

A Picea abies é a árvore de Natal por excelência em algumas partes da Europa, sendo muito cultivada para esse fim. Para além disso, é também frequentemente plantada em parques e jardins como espécie ornamental. A sua madeira é tradicionalmente utilizada no fabrico das caixas-de-ressonância de instrumentos musicais de corda, como por exemplo os famosos violinos Stradivarius. Os seus cones são os mais longos de entre todas as espécies de espruce. O nome do género, Picea, deriva do latim pix ou picis, que significa “piche” ou “betume”, o nome clássico para coníferas produtoras desta substância. O restritivo específico da espécie, abies, significa “abeto”, numa alusão à sua semelhança com as árvores desse género.

 

Legenda: Espruce-da-Noruega